Dez suspeitos de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica são presos

Denominada Downhill, ação tem 12 mandados de prisão e 15 mandados de busca e apreensão domiciliar para endereços no Recife e no interior do estado. Investigação da Polícia Civil começou em julho de 2020.

Sede do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil de Pernambuco, localizada no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife — Foto: Everaldo Silva/TV Globo


A Polícia Civil deflagrou, na quinta-feira (10), uma operação contra uma organização criminosa suspeita de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Ao todo, foram expedidos 12 mandados de prisão e outros 15 de busca e apreensão domiciliar para endereços no Grande Recife e no interior do estado. Dez pessoas foram presas.

Os alvos são pessoas ligadas a lojas de bicicleta na Região Metropolitana. Computadores e documentos foram apreendidos. Nesta sexta (11), a polícia concedeu uma coletiva para detalhar o esquema. A corporação informou que o grupo abria empresas em nome de funcionários. Quando uma empresa era autuada pela Secretaria da Fazenda, por causa de débitos fiscais, a organização não pagava os impostos devidos. Em vez disso, deixava o crédito tributário constituído e fechava o estabelecimento. Além disso, o grupo abria outras empresas, com registros diferentes, em nome dos mesmos funcionários, e seguia sem pagar os tributos. A polícia informou, ainda, que, ao todo, foram abertas cerca de 32 empresas. Juntas, elas deviam cerca de R$ 5 milhões ao estado. Além disso, a corporação informou que essas empresas omitiram uma receita de R$ 12 milhões. Essas empresas eram controladas por um casal, que gerenciava todo o esquema criminoso. Um dos presos, um homem de Altinho, no Agreste, estava com pássaros e, por isso, também foi autuado por tráfico de animais silvestres.

As investigações que resultaram na operação Downhill tiveram início em julho de 2020, sob a responsabilidade dos delegados Priscilla Von Sohsten e Raul Junges, respectivamente titular e adjunto da Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Deccot).

Os mandados foram expedidos pela Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe, na Região Metropolitana, e os presos e materiais apreendidos foram encaminhados para a sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no bairro do Cordeiro, no Recife.

Ao todo, 80 policiais civis foram empregados na ação, entre delegados, agentes e escrivães, além de dez auditores fiscais da Secretaria da Fazenda estadual.

Homem foi preso com pássaros silvestres em Altinho, Agreste de Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo


Segundo a polícia, as investigações contaram com a assessoria da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel) e contaram com o apoio do Laboratório de Lavagem de Dinheiro (Lab/Dintel), do Laboratório de Auditoria Digital (Laud/Sefaz) e da Secretaria da Fazenda.

A Civil informou que os detalhes da operação devem ser divulgados em coletiva de imprensa, na sexta-feira (11).


Link da Matéria: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2021/06/10/operacao-com-mandados-de-prisao-mira-suspeitos-de-sonegacao-fiscal-lavagem-de-dinheiro-e-falsidade-ideologica.ghtml

Featured Posts